segunda-feira, 29 de março de 2010

Não há idade...


É bem verdade que para amar não há idade... E eu ainda acrescento que para o prazer, também não!
Numa conversa entre várias mulheres maduras, penso que deveriam ter todas mais de 60 anos, achei fantástico o tema da conversa porque tratava-se de mulheres de uma geração mais "antiquada" em que as mulheres ainda tinham uma educação conservadora.
Sendo uma das senhoras viúva há alguns anos, a questão que seria que ela já se tinha tornado "virgem" outra vez...
Pois... E não poderiam estar mais enganadas as suas amigas!
Confesso que a mim também me surpreendeu um pouco mas, pela positiva, não estava à espera de ouvir a senhora dizer que tinha um vibrador e que gostava muito e, até já tinha oferecido às amigas.
Havia uma certa discórdia entre elas, umas também gostavam e outras achavam que "isso" não tinha jeito nenhum porque é uma "coisa morta", sem vida, o bom é ter tudo.
Sim, é verdade... O bom mesmo é ter tudo e, como dizia a senhora "Isso gostava eu mas, há falta de melhor..."
Também falaram de masturbação... E aqui também havia a mesma divisão de opiniões... Umas nunca o tinham feito e nem queriam fazer e outras achavam que era uma coisa boa.
Umas das senhoras não se pronunciou sobre o assunto... E outra disse "Ela não gosta disso, nunca gostou. Deve ser o marido que não é habilidoso..." e outra acrescentou "Ou então ela não ensinou bem o marido..."
Tudo isto num ambiente descontraído e com muitos risinhos à mistura!
E assim como começou a conversa acabou... E eu fiquei a pensar nisso... Porque não fazia ideia que senhoras maduras falassem assim tão descontraidamente de sexo devido à educação conservadora e reprimida.
Apesar de admirada, fiquei contente por saber!

7 comentários:

Lou a esquizoffrenica disse...

pois algumas e ainda bem que assim é, sabes que eu acho que nisso a televisão também tem ajudado muito, na forma como certos temas já vão sendo abordados nas tardes e nas manhãs. Isso é a sociedade a progredir =)

António disse...

Os jovens esquecem que os mais velhos experimentaram primeiro...
Podem não referir, por muitas e diversas razões, mas experimentaram e gostaram...
Um beijo
António

Morango disse...

Lou,

Sim, concordo que a televisão ajuda muito nesse sentido...

António,

Não sei se os jovens esquecem... No meu caso, apenas estranhei o facto de estarem a falar sobre o assunto e não o facto de experimentarem.

Bjos e boas vibrações.

Lou a esquizoffrenica disse...

Eu acho Que os jovens se esquecem sim, que julgam que os mais velhos não o fazem, que não têm necessidade o que é falso.

António disse...

Os mais velhos sabem o que é bom!
Os jovens é que pensam que são os únicos a cometerem loucuras.
Só que os mais velhos já as cometeram.
Mas achei delicioso o diálogo das "velhinhas"...

Um beijo
António

Morango disse...

A diferença é que os jovens ainda estão a descobrir o que querem e o que gostam... Ainda estão na fase de experimentar as coisas e, os mais velhos já sabem o que querem porque já experimentaram (ou não :p) e sabem o que gostam e como gostam.
Eu achei fantástica a conversa delas... E, só me admirei porque realmente não esperava ouvir aquilo por causa da educação mais conservadora.
;)

Bjos e boas vibrações.

Geninho disse...

A educação das senhoras era concerteza mais conservadora e não eram socialmente aceitáveis certas coisas simples que seriam consideradas obscenidades.
Mas o desejo reprimido esteve, provavelmente, sempre presente! A diferença é que naquela altura não se podia falar tão abertamente como agora.
A idade apenas refina os gostos e maneira de expressá-los...;)